ÉTICA e EDUCAÇÃO familiar

Por Administrador

Edição V17N03 | Ano 2020 | Editorial Editorial | Páginas 6 até 7

Ronaldo Hirata

Tenho pensado muito na Odontologia atual: em que ponto perdemos o controle sobre os limites do marketing (travestido, sempre, de liberdade de mercado, influenciando não somente pacientes, mas também jovens odontólogos impressionáveis), e quando perdemos a noção do relacionamento profissional/paciente, no qual buscaríamos não o que ele quer, mas sim o que ele necessita. Lutamos tanto pela liberdade de divulgação dos nossos trabalhos, de exposição dos nossos casos clínicos, mas, aparentemente, não temos a mesma disposição para lutar a favor dos pacientes — que, hoje, estão sendo submetidos a essa avalanche de sobretratamentos estéticos mal realizados e, sobretudo, pessimamente indicados. Fui crítico? Essa é a ideia. Transformamos nossas “lentes de contato”,