Estabilidade de cor em compósitos resinosos de uso ortodôntico

Por Administrador

Edição V17N02 | Ano 2020 | Editorial Artigo de Pesquisa | Páginas 801 até 117

Haylton Marcelo Soares Lima, Ana Paula Terossi de Godoi , William Custodio, Giovana Cherubini Venezian

Introdução: Esta pesquisa objetivou avaliar, por meio de um estudo ‘in vitro’, a interferência de três bebidas (café, Coca-Cola® e vinho tinto) sobre a coloração de compósitos resinosos: Transbond XT® , Orthocem® , Fill Magic® e Z100® . Métodos: A amostra foi constituída por 160 corpos de prova (n=10), sendo 40 para cada compósito , divididos em 10 corpos de prova de cada compósito para cada substância corante e um controle (água destilada). Durante o período experimental de 28 dias, os corpos de prova foram submersos em água destilada e mantidos em estufa a 37°C. Os grupos experimentais foram imersos em café, vinho tinto ou Coca-Cola, 5 dias por semana, por 3 minutos diários. As variações de cor foram quantificadas considerando-se a variação expressa em ΔE (ΔL*, Δa* e Δb*). Os dados foram analisados por meio dos testes não paramétricos de Kruskal-Wallis e Dunn, considerando-se um nível de significância de 5%. Resultados: Verificou-se que não houve diferença significativa entre as marcas (p>0,05) para a variação na cor (ΔE), quando imersas na mesma solução. Para a marca Transbond, maior variação na cor (ΔE) foi observada nos espécimes imersos em vinho (p<0,05), seguido de café e Coca-Cola. Para Fill Magic, Orthocem e Z100, os espécimes imersos em café ou vinho apresentaram maiores variações de cor. Conclusão: Todos os espécimes apresentaram maior variação na cor quando imersos em vinho e café, quando comparados à Coca-Cola e água destilada. Os espécimes da marca Transbond e Z100 apresentaram menor variação na cor do que Fill Magic e Orthocem, quando imersos em Coca-Cola e em água destilada. Estética. Ortodontia. Colorimetria. Resinas compostas.

Lima HMS, Godoi APT, Custodio W, Venezian GC. Color stability of resin composites for orthodontic use. J Clin Dent Res. 2020 May-Aug;17(2):104-17.