Gengivite descamativa persistente sem placa dentobacteriana: qual é o diagnóstico? Quais as condutas?

Por Administrador

Edição V14N03 | Ano 2017 | Editorial Biologia da Estética | Páginas 18 até 27

Alberto Consolaro, Andréia Pereira de Souza-Pavani

O líquen plano gengival, as lesões liquenoides e o penfigoide gengival têm seu diagnóstico dificultado por serem confundidos com a doença periodontal inflamatória crônica associada à placa dentobacteriana, especialmente quando existe uma sensibilidade dolorosa que dificulta a higiene bucal. O paciente procura, sucessivamente, vários profissionais, em busca de uma solução definitiva. Há de se ter segurança no diagnóstico e controle do líquen plano gengival, pois trata-se de uma doença autoimune associada ao estresse crônico e intenso. Requer tratamento e controle das condições bucais e sistêmicas, além de uma interação coerente de condutas e informações entre o cirurgião- dentista e o dermatologista. Há uma grande possibilidade de não se tratar do líquen plano gengival clássico, e sim de uma lesão liquenoide de causas locais, que podem estar associadas ao eletrogalvanismo. O paciente deve ser esclarecido sobre a real dimensão do potencial cancerizável dessas alterações, sem que haja exacerbação irreal ou negligência dessa possibilidade. O diagnóstico e o controle nos casos dessas doenças requerem, por parte do cirurgião-dentista, uma intensa e ativa participação como protagonista.

Como citar: Consolaro A, Souza-Pavani AP. Persistent desquamative gingivitis without dental bacterial plaque: What is the diagnosis? What approaches should be used? J Clin Dent Res. 2017 Jul-Sept;14(3):18-27. DOI: https://doi.org/10.14436/2447-911x.14.3-018-027.bes