Capacidade de selamento da interface implante/ abutment de um silicone fluido: estudo in vitro

Por Administrador

Edição V13N01 | Ano 2016 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 61 até 67

Carolina Ferreira, Bruno Costa, Piero Rocha Zanardi, Newton Sesma e Dalva Cruz Laganá

Introdução: a literatura mostra que a colonização por microrganismos na interface implante-abutment (IIA) pode ser responsável pela peri-implantite e pela perda óssea. Objetivo: o objetivo do presente estudo in vitro foi verificar a capacidade de selamento de um silicone fluido na interface de implantes com hexágono externo submetidos a testes mecânicos. Dois grupos de implantes com hexágono externo (n = 10) foram preenchidos com corante azul: no grupo controle, nenhum material foi aplicado na IIA; nos espécimes do grupo experimental, foi aplicado silicone na IIA. Resultados: todos os implantes do grupo controle (sem silicone) falharam no vedamento antes dos 100.000 ciclos (de 20.000 a 79.720 ciclos); por outro lado, todos os implantes do grupo experimental completaram 1.000.000 de ciclos, sem falhas no vedamento. Conclusão: pode-se concluir que o grupo experimental mostrou melhor capacidade de vedamento, estatisticamente significativa (p < 0,001), se comparado ao grupo controle.

Ferreira C, Costa B, Zanardi PR, Sesma N, Laganá DC. Sealing properties of the implant/abutment interface with fluide silicone: in vitro study. J Clin Dent Res. 2016 jan-mar;13(1):61-7. DOI: http://dx.doi.org/10.14436/2447-911x.13.1.061-067.oar