“Sepse” — o perigo está no corpo o tempo todo — e a prática da Odontologia Estética

Por Administrador

Edição V12N01 | Ano 2015 | Editorial Biologia da Estética | Páginas 29 até 33

Alberto Consolaro

No presente trabalho, em duas partes, procura-se abordar os vários aspectos da sepse e da bacteremia na prática clínica, especialmente na Odontologia Estética, que cada vez mais utiliza-se de procedimentos invasivos e injetáveis. A sepse representa um estado de anarquia biológica, em que os sistemas do corpo e os mecanismos de defesa ficam descoordenados, atuando cada um à sua maneira, levando o organismo à falência como um todo, e até ao óbito. A partir de um determinado ponto, o problema deixa de ser as bactérias indutoras e passa a ser recuperar ou restabelecer a sincronia dos mecanismos que fazem o organismo funcionar normalmente. Quase sempre o paciente com sepse vai para uma Unidade de Terapia Intensiva, e a taxa de mortalidade é alta. Bacteremias, por sua vez, são diárias e passageiras em organismos saudáveis, mas podem dar origem à sepse, em pacientes debilitados. Ainda, as bacteremias também podem ser provocadas por procedimentos odontológicos muito simples e podem ser atribuídas como causas de sepse; porém, esses riscos podem ser diminuídos e questionáveis.

Consolaro A. “Sepse” — o perigo está no corpo o tempo todo — e a prática da Odontologia Esté- tica. Parte 1: nomenclatura, conceitos, origem e cuidados a se tomar. Rev Dental Press Estét. 2015 jan-mar;12(1):29-33