Robodentistry: imprimindo cerâmica

Por Administrador

Edição V11N01 | Ano 2014 | Editorial Nota Científica dos Editores | Páginas 44 até 45

Marcelo Calamita e Nelson RFA Silva

A produção de restaurações protéticas fixas, como inlays, onlays, facetas laminadas, coroas e próteses parciais fixas, por meio do sistema CAD/CAM, é de uma tecnologia relativamente antiga, usada por profissionais de Odontologia há mais de 20 anos. O CAD/CAM tem sido utilizado com diferentes materiais, como porcelana, resina e blocos metálicos, não utilizados anteriormente devido a limitações técnicas. Atualmente, o CAD/CAM para próteses em cerâmica utiliza blocos sólidos ou em estágio pré-sinterizado para obter uma estrutura anatômica final completa, ou uma infraestrutura que suporte a porcelana de recobrimento. A usinagem de blocos cerâmicos sólidos traz o desafio de evitar microtrincamento de superfície, que pode diminuir a durabilidade em longo prazo das restaurações. À zircônia — um material atraente, devido à boa resistência mecânica, tenacidade e estética — a usinagem de cerâmica densa pode induzir a transformação de tetragonal para monoclínica (t-m). Não se sabe se essa transformação t-m é prejudicial à longevidade da restauração em zircônia (ex. Y-TZP), por isso, com o objetivo de evitar a falha inesperada de microtrincamento de superfície ou transformação t-m, um processo de pré-sinterização tem sido recomendado.