Reconstrução estética e funcional de dentes anteriores tratados endodonticamente

Por Administrador

Edição V10N04 | Ano 2013 | Editorial Caso Clínico | Páginas 58 até 73

Marília Zeczkowski, Adriana Lemos Mori Ubaldini, Kazuza Bueno Ferreira da Rocha, Talita Tatiane de Carvalho Rocha, Renata Corrêa Pascotto

O traumatismo dentoalveolar em dentes anteriores, além de levar ao comprometimento estético e funcional, pode causar alterações de comportamento do indivíduo. Nos casos de fraturas coronárias de esmalte e dentina, a perda acentuada da estrutura dentária pode, algumas vezes, levar ao comprometimento pulpar e à necessidade de tratamento endodôntico, juntamente com o tratamento restaurador. A reabilitação de dentes tratados endodonticamente muitas vezes se torna um desafio em função da quantidade e da qualidade do remanescente dentário. Nesses casos, é preciso lançar mão de retentores intrarradiculares, que auxiliam na retenção da restauração. O objetivo do presente trabalho é relatar um caso clínico de uma paciente de 20 anos de idade que compareceu à clínica odontológica queixando-se da estética dos seus dentes anteriores. Após exame clínico e radiográfico, foi constatado que a paciente apresentava os incisivos centrais superiores com tratamento endodôntico e remanescente dentário escurecido, além de restaurações insatisfatórias. Optou-se pela reconstrução dos elementos dentários comprometidos com resina composta direta, utilizando a técnica da guia de silicone associada ao uso de pinos intrarradiculares de fibra de vidro fixados com cimento autoadesivo. O tratamento selecionado demonstrou ser uma opção conservadora e capaz de restabelecer a estética e a função dos incisivos centrais superiores escurecidos após traumatismo e tratamento endodôntico em uma paciente jovem. O uso de pinos de fibra de vidro, quando bem indicados e utilizados de maneira cautelosa, podem ser bons retentores em caso de restaurações de dentes tratados endodonticamente e com fratura coronária.