A influência do tempo de fotopolimerização na microdureza de duas resinas compostas

Por Administrador

Edição V10N04 | Ano 2013 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 40 até 49

Walter Leonardo Siqueira Zaia, José Luiz Guimarães de Figueiredo, Lucas Camargo de Sousa, Alessandra Satake

O propósito deste estudo foi avaliar a microdureza Knoop de duas resinas compostas, variando o tempo de fotopolimerização, e avaliar a microdureza dessas após a imersão em álcool absoluto. Foram confeccionados corpos de prova com as resinas Opallis (micro-híbrida) e Filtek Z350 XT (nanoparticulada), sendo divididos em três grupos para cada resina composta, variando o tempo de fotopolimerização (20s, 30s e 40s). Para a confecção dos corpos de prova, foi utilizada uma matriz circular bipartida de tecnil, com 2mm de altura e 4mm de diâmetro. Após 24 horas da confecção dos corpos de prova, foi realizado o primeiro teste de microdureza, avaliando topo e base. A seguir, a mesma amostra foi submersa em álcool absoluto por 24 horas e, então, realizado o segundo teste, avaliando-se novamente topo e base. Observou-se na resina Filtek Z350 XT maior microdureza em relação ao topo e base imersa em ambas as soluções, quando comparada à resina Opallis. Ambas as resinas, em suas bases, obtiveram diferença na microdureza nos diferentes intervalos de tempo quando imersas nas diferentes soluções. Também pôde-se observar que ambas as resinas compostas, quando colocadas em álcool absoluto, apresentam menor microdureza, inferindo-se que a densidade de ligações cruzadas é diminuída quando exposta a essa solução.