Análise do pH de bebidas ácidas e de géis clareadores dentários utilizados em consultório

Por Administrador

Edição V10N03 | Ano 2013 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 70 até 75

Paulo Sérgio Quagliatto, Jéssica Idelmino Duarte, Guilherme Faria Moura, Marília Cherulli Dutra, Ludmila Cavalcanti de Mendonça

Produtos para clareamento dentário utilizados em consultório possuem altas concentrações de peróxido de hidrogênio, e podem apresentar baixo valor de pH. O objetivo desse estudo foi aferir o pH de duas bebidas consideradas ácidas e de quatro géis clareadores à base de peróxido de hidrogênio por meio de aparelho medidor de pH ou pHmetro. Os géis clareadores avaliados foram: G1, Opalescence Boost – peróxido de hidrogênio a 38% (Ultradent Products Inc.); G2, Whiteness HP Blue Calcium – peróxido de hidrogênio a 35% (FGM Produtos Odontológicos); G3, Whiteness HP Maxx – peróxido de hidrogênio a 35% (FGM Produtos Odontológicos); G4, Total Blanc Office – peróxido de hidrogênio a 35% (NOVA DFL Indústria e Comércio S.A). A média do pH foi calculada após 45 minutos, aferindo os valores do pH em intervalos de dois em dois minutos. Os resultados mostraram média de pH para o G1 = 7,0; G2 = 8,5 ; G3 = 5,8 e G4 = 5,5. Os valores de pH do suco de laranja natural (pH = 3,72) e da Coca-Cola (pH = 2,66), em todo o período de mensuração, demonstraram-se ácidos, sendo utilizados para comparação com os grupos testados. Os géis G1 (Opalescence Boost, peróxido de hidrogênio a 38%) e G2 (Whiteness HP Blue Calcium, peróxido de hidrogênio a 35%) apresentaram pH neutro/básico em todo período testado. Para a aplicação clínica devemos seguir as instruções do fabricante, ou seja, para géis com queda gradativa de pH, como G3 e G4, deve-se realizar a troca desse em, no máximo, 20 minutos depois da aplicação, fazendo nova manipulação.