Análise espectrofotométrica da diferença de cor, sensibilidade dentária e grau de satisfação de dentes humanos vitais clareados clinicamente

Por Administrador

Edição V10N02 | Ano 2013 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 103 até 112

Walter Leonardo Siqueira Zaia, José Luiz Guimarães de Figueiredo, Danilo Mathias Zanello Guerisoli, Alessandra Satake, Juliana Alves

Objetivo: avaliar a diferença de cor em dentes humanos clareados com e sem aplicação de LED, a sensibilidade dentária e o grau de satisfação pessoal dos pacientes. Métodos: foram clareadas as arcadas de 52 pacientes, divididos em 4 grupos: G1, recebeu o tratamento clareador com peróxido de hidrogênio a 35% Mix One; G2, peróxido de hidrogênio a 35% Whiteness HP; G3, peróxido de hidrogênio a 35% Mix One e fotoativado com LED Bright Max; e, G4, peróxido de hidrogênio a 35% Whiteness HP fotoativado com LED Bright Max. Para a realização das leituras de cor, foi utilizado espectrofotômetro. Para a sensibilidade dentária e satisfação pessoal, foram aplicadas questões aos pacientes. Resultados: os valores médios de ΔE foram submetidos à análise de variância (ANOVA), onde o grupo G1 apresentou p < 0,01, com maiores valores de ∆E obtidos para dentes onde foi utilizado o produto Mix One. Para a sensibilidade dentária, foi aplicado o teste de Kruskal-Wallis, que revelou diferenças significativas entre os escores obtidos (p = 0,0446). Para o grau de satisfação, realizou-se uma análise descritiva onde a percentagem não mostrou diferenças significativas. Conclusão: houve diferença com relação à mudança de cor dentária, observando-se um melhor clareamento para o grupo G1. Houve diferença na sensibilidade dentária entre os grupos G2 e G3 apenas na primeira sessão, e após um ano não houve diferença com relação ao grau de satisfação pessoal.