Influência de agentes clareadores na rugosidade superficial do esmalte

Por Administrador

Edição V09N04 | Ano 2012 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 80 até 87

Flavia Pardo Salata Nahsan, Vera Lúcia Schmitt, Fabiana Scarparo Naufel, Jamille FavarÃo, Carolina Schmitt Walker, Rafael Francisco Lia Mondelli

O objetivo desse estudo in vitro foi avaliar a influência do pH de agentes clareadores na rugosidade superficial do esmalte após o clareamento dentário. Amostras em esmalte foram seccionadas (3mm x 5mm x 3mm) a partir de terceiros molares, previamente armazenados em saliva artificial. Foram distribuídas aleatoriamente em quatro grupos (n = 10). O tratamento clareador foi realizado durante três semanas: G1: aplicação diária de peróxido de carbamida 10% (Whiteness Perfect® FGM) por 4h; G2: peróxido de carbamida 16% (Whiteness Perfect® FGM) por 2h; G3: peróxido de hidrogênio 6% (White Class® FGM) por 1 hora e 30 minutos; G4: aplicação semanal de peróxido de hidrogênio a 35% (Whiteness HP® FGM) com duas aplicações de 15 minutos por sessão. Após isso, foi realizada análise da rugosidade (Ra, µm) com o rugosímetro, nas duas metades de cada espécime. Os resultados foram analisados por meio do teste t pareado e revelaram um aumento significativo da rugosidade superficial do esmalte dos grupos clareados com peróxido de carbamida 16%, peróxido de hidrogênio 6% e peróxido de hidrogênio 35%. Conclui-se que o uso de peróxido de carbamida 10% é um método seguro que proporciona menores valores de rugosidade superficial, se utilizado em curtos períodos. Em adição, a alteração provocada no esmalte é dependente da concentração dos ingredientes ativos do produto clareador.