Clareamento dentário associado à aplicação de fosfopeptídio de caseína-fosfato de cálcio amorfo (CPP-ACP): relato de caso

Por Administrador

Edição V09N03 | Ano 2012 | Editorial Caso Clínico | Páginas 60 até 69

Núbia Inocencya Pavesi Pini, Diogo de Azevedo Miranda, Carlos Eduardo dos Santos Bertoldo, Juliana Yuri Nagata, Débora Alves Nunes Leite Lima, Flávio Henrique Baggio Aguiar, José Roberto Lovadino

Com a valorização da Odontologia Estética, o clareamento dentário se tornou um procedimento de rotina na prática clínica. Atualmente, as variações da técnica são em relação à análise de cor (por escala visual ou espectrofotometria), às formas de aplicação (gel, líquido, pó/líquido, tiras clareadoras) e protocolos (externo ou interno), e a minimização dos seus efeitos colaterais, como a sensibilidade. Paciente de 23 anos, do sexo masculino, encontrava-se insatisfeito com a tonalidade amarelada de seus dentes, principalmente do incisivo inferior (41). Ao exame clínico, essa diferença de cor pôde ser constatada e, em exame radiográfico, pôde-se verificar alterações no espaço pericementário do elemento 41, decorrente de trauma ortodôntico. Instituiu-se o tratamento endodôntico desse dente, seguido de procedimentos clareadores externos nos demais dentes e procedimento clareador interno no elemento 41. Em seguida, foi preconizada a aplicação da pasta de caseína fosfato de cálcio amorfo, por meio de moldeiras individuais. A análise de cor foi realizada por meio da escala Vita® e do espectrofotômetro CM-700d previamente e após o clareamento, e após aplicação da pasta. A associação de técnicas clareadoras, como no presente caso, se mostrou efetiva para o restabelecimento estético do sorriso do paciente, dentro das suas expectativas.