Concorrência, excesso de profissionais, operadoras de convênios, cursos de especialização…

Por Administrador

Edição V09N01 | Ano 2012 | Editorial Gestão em Odontologia | Páginas 26 até 27

Celso Orth

Somos levados, constantemente, a refletir sobre o excesso de profissionais, o excesso de convênios e planos de saúde, os muitos cursos de especialização que acabam recrutando pacientes, e por aí afora. Assunto por demais polêmico. Não que eu não concorde que isso exista e que se tornou um concorrente importante para a clínica no dia a dia. Vamos abordar com um pouco mais de profundidade esse assunto. Em primeiro lugar, uma proporção desarmoniosa entre o número de profissionais e o número de habitantes não é, de forma alguma, privilégio da Odontologia. Esse desequilíbrio, nos dias de hoje, é percebido claramente na maioria das profissões que estão no mercado. É visível, pela sedução que um título de graduação impõe, a busca desenfreada por um diploma de curso superior em detrimento de cursos técnicos. Esses últimos com um mercado sempre cada vez mais promissor.