Clareamento dentário e sensibilidade: um olhar do ponto de vista biológico

Por Administrador

Edição V08N04 | Ano 2011 | Editorial Caso Clínico | Páginas 68 até 77

Cyntia Galvão Gomes de Medeiros

É importante que todos os profissionais que trabalham com Odontologia Estética se preocupem em realizar tratamentos que não desenvolvam efeitos colaterais, como a sensibilidade dentária, muito comum nos procedimentos de clareamento dentário. Além de estudar os componentes estéticos, é preciso entender a biologia dos tecidos dentários, conhecer os materiais e aparelhos utilizados, bem como dominar a técnica selecionada. Esse artigo busca, após uma revisão da literatura, avaliar os fatores responsáveis pela sensibilidade dentária trans- e pós-clareamento e selecionar a técnica que promova segurança e conforto ao paciente. Na sequência, são apresentados dois casos clínicos onde pacientes com recessão gengival e bruxismo realizaram o clareamento dentário com segurança e sem sensibilidade pós-operatória.