Avaliação da sensibilidade pós-operatória em restaurações diretas profundas utilizando sistemas adesivos autocondicionantes

Por Administrador

Edição V08N01 | Ano 2011 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 56 até 65

Marcelo Figueiredo Lobato, Alessandra Iamanouth de Farias Khayat, Karina Kato Carneiro, Mário Honorato SILVA E Souza Jr

O propósito de presente estudo foi avaliar a sensibilidade pós-operatória (SPO) após 2 dias, 7 dias, 180 dias e 360 dias, em restaurações de dentes posteriores feitas com resina composta (Z-350, 3M-ESPE) associada a adesivos autocondicionantes. Foram realizadas 60 restaurações em 35 pacientes e os grupos experimentais foram assim delineados: GI= 20 cavidades tratadas com o sistema adesivo de três passos SBMU (3M-ESPE); GII= 20 cavidades tratadas com o sistema autocondicionante de dois passos Adper SE Plus (3M-ESPE); GIII= 20 cavidades tratadas com o sistema autocondicionante de um passo All Bond SE (BISCO). Após 48 horas, 7 dias, 180 dias e 360 dias, os pacientes foram chamados para avaliação da SPO. Inicialmente, o relato do paciente era considerado e classificado de zero a três, de acordo com critérios previamente estabelecidos. Posteriormente, teste clínico com frio era realizado e classificado de zero a dez, de acordo com a escala visual analógica modificada. Os resultados foram analisados pelos testes não paramétricos de Kruskall-Wallis, para comparar os diferentes tratamentos ao longo do tempo; e teste de Friedman, para analisar o comportamento de cada sistema ao longo dos períodos. Os testes estatísticos não mostraram diferenças significativas de SPO para os grupos testados em todos os períodos avaliados. Os resultados mostraram que, nesse caso, a SPO não foi influenciada pelos sistemas autocondicionantes.