Abordagens sobre o ozônio no tratamento de lesão cariosa e em procedimento restaurador adesivo

Por Administrador

Edição V07N02 | Ano 2010 | Editorial Artigo de Revisão | Páginas 74 até 80

Paula Cicília Faquim Rodrigues, Evelin Soares Oliveira, Andréia Assis De Carvalho, João Batista De Souza, Geraldo José Oliveira, Lawrence Gonzaga Lopes

O ozônio é uma variedade alotrópica do oxigênio constituída por uma molécula triatômica desse elemento. Tem sido considerado um potente oxidante que pode ser usado na Odontologia. O seu uso apresenta-se como nova alternativa no tratamento de lesões de cárie, uma vez que sua eficácia clínica tem sido comprovada por diversos estudos relacionados à inativação de vírus, bactérias e fungos. Em função de apresentar propriedade comprovada na inibição e/ou destruição de muitas bactérias da cavidade bucal — tais como Streptococcus mutans, Streptococcus sanguis e Actinomyces odontolyticus —, o seu uso no tratamento das lesões cariosas é baseado em sua atividade antimicrobiana, com diminuição da acidez do biofilme, possibilitando a difusão de íons cálcio e fosfato nas lesões cariosas e permitindo a remineralização da dentina e esmalte afetados. Atualmente, a ozonioterapia é considerada uma alternativa promissora pelo seu baixo custo de investimento e manutenção, facilidade de aplicação e resultados clínicos satisfatórios. Porém, o ozônio decompõe-se rapidamente e a presença de radicais de oxigênio pode interferir na polimerização de materiais adesivos. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é apresentar uma revisão de literatura sobre a utilização do ozônio no tratamento de lesões cariosas e seu efeito sobre procedimentos restauradores adesivos.