Incompatibilidade entre sistemas adesivos simplificados e cimentos resinosos/resinas compostas

Por Administrador

Edição V05N04 | Ano 2008 | Editorial Artigo de Pesquisa | Páginas 90 até 103

Eugenio Jose Garcia, Cristian Higashi, Wilmer Fabian Sepúlveda-navarro, Alessandra Reis, Alessandro Dourado Loguercio

Evidências científicas demonstram que, quando sistemas adesivos simplificados são associados a cimentos de ativação química ou de dupla ativação – na qual a ativação química é essencial –, bem como no caso de uso de resinas compostas nas técnicas de polimerização lenta, pode ocorrer incompatibilidade química e física. Várias manobras podem minimizar esta incompatibilidade, entre elas destacam-se: 1) uso de co-iniciadores nas soluções adesivas para a polimerização química; 2) uso de agentes que diminuam a permeabilidade dentinária; 3) uso de múltiplas camadas de adesivo; 4) aumento do tempo de fotoativação; 5) conversão de adesivos simplificados em adesivos não-simplificados, por meio do uso de uma camada de adesivo hidrófoba; e 6) uso da técnica de selamento imediato ou técnica da “cobertura com resina”. A técnica de selamento imediato é a de melhor custo-benefício, pois bloqueia a incompatibilidade física e química do cimento resinoso utilizado para o procedimento de cimentação e diminui a contaminação bacteriana e irritação da polpa, aumentando a união das peças protéticas à dentina.