Novo conceito na clareação dentária pela técnica no consultório

Por Administrador

Edição V05N03 | Ano 2008 | Editorial Caso Clínico | Páginas 55 até 66

Fabiano Carlos Marson, Luis Guilherme Sensi, Rodrigo Reis

O objetivo deste trabalho foi avaliar o tempo de decomposição e o pH dos agentes clareadores utilizados na clareação no consultório, em relação ao tempo de aplicação. Foram selecionados 4 agentes clareadores e divididos em 4 grupos (n = 5): G1 – Opalescence Xtra Boost (Ultradent); G2 – Whiteness HP Maxx (FGM); G3 – Lase Peroxide Sensy (DMC) e G4 – White Gold Office (Dentsply). A manipulação dos agentes clareadores seguiu as orientações do fabricante. Para avaliação da dosagem de peróxido de hidrogênio em relação ao tempo, foi utilizado o método de titulação do peróxido de hidrogênio com permanganato de potássio preconizado pelo manual de farmacopéia americana (USP) e avaliação do pH do agente clareador através do papel indicador universal de Merck. No teste estatístico de ANOVA, foi observado a hipótese de igualdade entre os grupos, avaliando o fator decomposição em relação ao tempo. No tratamento clareador de dentes vitais através da técnica no consultório com peróxido de hidrogênio, não há necessidade de trocas do agente clareador durante a sessão clínica, quando o agente clareador utilizado mantêm o pH neutro.