Adeus Amigo

Por Administrador

Edição V05N03 | Ano 2008 | Editorial Editorial | Páginas 3 até 3

Sidney Kina

Um dentista… Brasileiro? O que pode ter de especial? Dentistas todos somos, quando saímos de nossos cursos de graduação e obtemos nosso diploma. No Brasil brotam dentistas, mas, de vez em quando, um nasce com mais luz. Um dos melhores germinou, por acaso, na cidade de Maringá e se fez gigante na cidade de São Paulo. Adauto de Freitas Jr., sonhador e irreverente, foi capaz de transformar nosso ofício em estado da arte. Saiu com seus sonhos e convicções a tiracolo – trabalho muito, muito duro – e se embrenhou pela Odontologia para extrair sorrisos admiráveis pelo mundo afora. Num Brasil, de Odontologia sofrida – ou seria de dentistas sofridos? –, oprimida especialmente pela inconstância financeira e pela cultura de desvalorização de nossos serviços (sábio Baratieri, em suas colocações), Adauto, com sua Odontologia feita de paixão, carinho e excelência, nos fez – faz – pensar. Sem medo, ele e os Marcelos – Kyrillos e Moreira – maravilhosos dentistas/artistas, criaram o Ateliê Oral. Fabuloso, suntuoso e, antes, impensável. Colocaram novamente nossa auto-estima para cima. Pintaram com glamour nossa profissão. Um novo norte, que, quando visto com bons olhos – sem inveja, sem comparação –, é pura inspiração.