Os transplantes dentários autógenos: as razões biológicas do sucesso clínico

Por Administrador

Edição V05N03 | Ano 2008 | Editorial Biologia da Estética | Páginas 124 até 134

Alberto Consolaro, Tiago Novaes Pinheiro, João Batista Gagno Intra, Marco Antônio Masioli, Armelindo Roldi

Nos países escandinavos, a eliminação da cárie e da doença periodontal, como problema de saúde pública, permitiu um redirecionamento das prioridades para o traumatismo e anodontia parcial como principais causas de perda e de ausência dentária. Os transplantes dentários autógenos são realizados há mais de 40 anos nesses países. O controle dos dentes transplantados neste período revela que o aperfeiçoamento técnico e a fundamentação biológica se encontraram, permitindo uma elevada taxa de sucesso na população2,3,6,7. Nestes países, os transplantes dentários autógenos são procedimentos rotineiros, com protocolos bem estabelecidos nos serviços odontológicos. O tratamento ortodôntico envolvendo dentes transplantados faz parte da rotina e o sucesso é relatado em trabalhos exemplares da literatura2,3,13. Da mesma forma, procedimentos relacionados diretamente com a Odontologia Estética são fundamentais para se considerar esses casos como sucesso clínico.