Clareação dentária: revisão de literatura e sua interferência na colagem de braquetes ortodônticos

Por Administrador

Edição V05N03 | Ano 2008 | Editorial Artigo de Revisão | Páginas 100 até 106

Fernanda Danielle Mishima, Raquel Gomes De Almeida Valentim, Monica Tirre De Souza Araújo, Antonio Carlos De Oliveira Ruellas, Eduardo Franzotti Sant’anna

A primeira descrição de clareação de dentes escurecidos e não-vitais foi feita em 1864, por Truman. Desde então, várias técnicas de clareação, com o uso dos mais diversos materiais, têm sido descritas e utilizadas por pacientes. A preocupação dos pacientes com a estética dentária, incluindo cor e arranjo dos dentes, vem crescendo consideravelmente, aumentando a possibilidade de pacientes com necessidade de tratamento ortodôntico já haverem sido submetidos a algum tipo de clareação dentária. O objetivo deste trabalho foi realizar uma análise crítica da influência da clareação de dentes vitais sobre a força de adesão ao esmalte. Concluiu-se que existe uma discrepância de resultados encontrados na literatura a respeito da diminuição da força de adesão dos braquetes aos dentes clareados, mas que as alterações causadas pela clareação existem, tornando-se necessário um período de, pelo menos, 7 dias de espera para que a colagem dos braquetes ortodônticos seja realizada com maior segurança.