Influência do uso da magnificação nas dimensões cavitárias durante a remoção de restaurações de resina composta

Por Administrador

Edição V04N03 | Ano 2007 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 34 até 40

Renata Corrêa Pascotto, Margareth Calvo Pessutti Nunes, Luis Alberto Sabino Vila Real, Ricardo Eduardo Otaviano

Avaliou-se, in vitro, o efeito do uso ou não da magnificação utilizando o microscópio operatório no aumento das dimensões cavitárias durante a remoção de restaurações de Classe III com resina composta. Dez dentes anteriores humanos, montados em manequim, foram utilizados. Cavidades Classe III foram confeccionadas utilizando acesso lingual e restauradas com resina composta. Os dentes foram divididos em dois grupos: no grupo 1 (G1) a remoção das restaurações foi realizada sob magnificação (8X) e no grupo 2 (G2) a olho nu. Os dentes foram pesados em balança analítica de precisão após os preparos cavitários, após as restaurações com resina composta e após a remoção das restaurações. A diferença entre o peso inicial e o peso final foi submetida à análise de variância (ANOVA) e teste de Tukey (p menor que 0,05). Os resultados demonstraram haver diferença estatisticamente significante entre os grupos, com maior perda de estrutura para os dentes onde as restaurações foram removidas visualmente 2,8% (0,028±1,89) do que quando utilizou-se o microscópio 0,4% (0,004±2,80) durante essa manobra. Concluiu-se que o uso do microscópio proporcionou a realização de um preparo cavitário mais conservador, preservando a estrutura dentária durante a substituição de restaurações de resina composta.