Resistência adesiva na cimentação de pinos de fibras de vidro utilizando diferentes sistemas adesivos e agentes cimentantes

Por Administrador

Edição V04N02 | Ano 2007 | Editorial Artigo de Pesquisa | Páginas 54 até 66

Sanzio Marques, Daniella Ferreira Hamdan, Marcos Pinotti Barbosa, Marcos Dias Lanza

A idéia de se usar os condutos radiculares como forma de retenção de restaurações de dentes tratados endodonticamente não é nova. A função do pino é oferecer retenção e suporte para o material restaurador. O presente trabalho avaliou a resistência adesiva de um sistema adesivo dual (Excite DSC), um sistema adesivo químico (Alloybond), um cimento resinoso dual (Variolink II) e um cimento resinoso químico (C&B Cement) na cimentação de pinos de fibras de vidro (Reforpost). Foram utilizados quarenta caninos humanos hígidos, extraídos por indicação periodontal. Os dentes tiveram suas coroas anatômicas seccionadas na junção amelocementária. Pinos de fibras de vidro Reforpost (Angelus) foram cimentados, sendo formados 4 grupos com 10 corpos-de-prova cada. As amostras foram armazenadas em água destilada a 370C por 24 horas. Após este período, os dentes foram fixados em tubos de aço inoxidável com resina acrílica auto-polimerizável, com o auxílio de um paralelômetro. A seguir, um novo tubo de dimensões iguais foi posicionado sobre o primeiro e vertido sobre este resina acrílica, para reter o pino de fibras de vidro após sua presa. Um tubo guia, com pinos posicionadores em suas extremidades, foi utilizado para padronizar todos os corpos-de-prova. Os corpos-de-prova foram posicionados em uma máquina de ensaios universais (Instron) onde se realizaram testes de tração dos mesmos. Na comparação entre os sistemas adesivos, o Alloybond apresentou maiores resistências adesivas, independente do cimento resinoso utilizado. Os cimentos resinosos Variolink II e C&B Cement não apresentaram diferença estatisticamente significante entre si.