Estudo da fluorescência de diferentes cores de uma resina composta: análise digital

Por Administrador

Edição V04N01 | Ano 2007 | Editorial Artigo Clínico | Páginas 115 até 123

Tatiana Pereira Rodrigues, Alessandra Nara De Souza Rastelli, Eurico De Carvalho Filho, Jeison Tallis Tribiolli, Leonor De Castro Monteiro Loffredo, Vanderlei Salvador Bagnato

O objetivo deste estudo foi avaliar a fluorescência de diferentes cores de uma resina composta e da estrutura dentária por meio de imagens de fluorescência conjugada ao processamento digital. A amostra foi constituída por 192 imagens, sendo 176 de corpos-de-prova de resina composta e 16 da estrutura dentária. Os corpos-de-prova foram confeccionados em matriz circular metálica, contendo orifício central de 10mm de diâmetro e 1mm de espessura, sendo confeccionado 1 corpo-de-prova para cada uma das 11 cores avaliadas da resina composta Helio Fill (Vigodent). A análise digital da fluorescência foi realizada com auxílio de câmera CCD conectada ao computador, sendo a fluorescência analisada sob iluminação com LED UV. Foram coletadas 16 imagens pela câmera para cada corpo-de-prova e estrutura dentária e estas foram processadas matematicamente, quantificando a intensidade de fluorescência na escala de cinza. Foi aplicada análise de variância a um critério fixo e realizado teste de Tukey para os contrastes. Verificou-se que a tonalidade A1 apresentou maior média de intensidade de fluorescência e a tonalidade C3 apresentou a menor entre as resinas compostas. O comportamento foi semelhante para cores B1 e B2, bem como para A4 e C2. Porém, a intensidade média da estrutura dentária apresentou valor médio inferior a todas as cores avaliadas. Conclui-se que todas as cores analisadas sob iluminação UV possuem fluorescência superior à da estrutura dentária.