Propriedades flexurais de pinos diretos metálicos e não-metálicos

Por Administrador

Edição V03N03 | Ano 2006 | Editorial Artigo de Pesquisa | Páginas 21 até 36

Daniel Tozatti Mazzoccato, Ronaldo Hirata, Luiz Antônio G, Pires, Eduardo Mota, Lourenço Farias De Moraes, Sandra Tozatti Mazzoccato

Com a evolução dos materiais restauradores, novas técnicas, que buscam preservar ao máximo a estrutura dentária remanescente de dentes tratados endodonticamente, vêm surgindo. O objetivo deste trabalho foi medir e comparar a resistência à flexão entre pinos pré-fabricados diretos metálicos (aço inoxidável) e não-metálicos (quatro marcas comerciais de pinos de fibra de vidro, uma de fibra de carbono e uma marca de fibra de quartzo). Estes pinos foram testados em uma máquina de ensaio universal Pantec 500 (Panambra), de acordo com as especificações da ISO 178 para testes transversais de três pontos. Baseado na análise estatística aplicada aos dados obtidos ao final do estudo concluiu-se que: todos os grupos tiveram valores médios do módulo flexural superiores ao módulo da dentina relatado na literatura; os pinos poliméricos reforçados por fibras obtiveram resistência máxima flexural superior à dos pinos metálicos e não houve diferenças significativas entre os grupos, em relação ao módulo flexural.