Avaliação da resistência adesiva de resina composta em dentina humana, empregando sistemas adesivos autocondicionantes e monocomponente: teste de microtração

Por Administrador

Edição V03N02 | Ano 2006 | Editorial Artigo de Pesquisa | Páginas 16 até 30

Rafael Barroso Pazinatto, José Benedicto De Mello, Celso Luiz De Angelis Porto

O objetivo do presente estudo foi avaliar a resistência adesiva de três sistemas adesivos, de diferentes composições, aplicados à dentina humana. Doze terceiros molares humanos foram incluídos em resina acrílica, esterilizados por radiação gama gerada pelo cobalto 60, tiveram o esmalte oclusal removido para a exposição de uma superfície plana de dentina e foram submetidos a uma lixa de carbeto de silício (no 600) para regularização da lama dentinária. As amostras foram divididas em 3 grupos: Grupo 1 – Single Bond (3M); Grupo 2 – AdheSE (Ivoclar); Grupo 3 – Tyrian e One Step Plus (Bisco). Para todos os grupos a resina composta EsthetX (Dentsply) foi inserida pela técnica incremental, em matriz bipartida, sobre a área preparada. Após 24h de armazenagem em água destilada a 370C, os corpos-de-prova foram termociclados em 500 ciclos (50C a 550C) e seccionados longitudinalmente nos sentidos frontal e sagital para a obtenção de palitos de 1mm2. Os espécimes foram submetidos ao teste de microtração a uma velocidade de 0,5mm/min. Para a análise estatística foram empregados os testes de análise de variância (ANOVA) e a comparação múltipla de Tukey (5%). Os valores médios obtidos foram 27,41MPa (SB), 16,44MPa (AD) e 13,03MPa (TO). Conclui-se que: o sistema monocomponente (SB) apresentou resistência adesiva significantemente maior que os autocondicionantes (AdheSE e Tyrian + One Step Plus) e que não houve diferença estatística entre os sistemas autocondicionantes; o sistema adesivo Single Bond apresentou o maior número de fraturas coesivas.