Coroa Endodôntica Adesiva como recurso terapêutico para dentes tratados endodonticamente

Por Administrador

Edição V03N01 | Ano 2006 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 99 até 113

Sérgio Sábio, José Mondelli, Silvia Sbeghen Sábio, Adilson Yoshio Furuse, Augusto Bodanezi

O presente artigo sugere uma forma terapêutica inovadora como restauração de dentes tratados endodonticamente e que apresentam grande destruição do remanescente coronário. As técnicas convencionais promovem a reconstrução destes elementos com núcleos metálicos fundidos, núcleos pré-fabricados ou núcleos de preenchimento associados a coroas parciais ou totais dependendo do grau de destruição coronária. Estes tratamentos têm apresentado, ao longo dos tempos, resultados bastante satisfatórios do ponto de vista clínico, o que determina a sua aceitação pela classe odontológica. No entanto, são tratamentos caros e que exigem várias etapas operatórias. Em 1999, Bindl e Mörmann apresentaram uma forma terapêutica denominada Endo Crown que sugeria o tratamento deste dentes em uma única sessão através da construção de coroas adesivas pelo sistema Cerec. No presente artigo são sugeridas modificações, adaptando ao sistema de restauração indireta materiais de uso laboratorial mais acessíveis e disponíveis ao clínico geral, tais como as porcelanas modificadas ou resinas de laboratório. O sistema restaurador modificado apresenta boas perspectivas clínicas do ponto de vista funcional e estético, porque se adapta às condições da maioria dos laboratórios e, por essa razão, o custo é mais acessível aos profissionais e pacientes, no entanto devido ao número de casos clínicos relatados é aconselhável que a indicação deste tipo de tratamento seja feita somente em casos selecionados.