Transferência da topografia gengival da zona de pônticos ao modelo mestre através do uso de restaurações provisórias

Por Administrador

Edição V02N01 | Ano 2005 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 32 até 46

Ricardo Mitrani Boyle, Luís Codina Marcet

As restaurações provisórias oferecem ao laboratório a máxima ferramenta de informação clínica. Devido ao fato do tecido gengival poder distorcer-se durante a tomada de impressões, e assim não registrar corretamente o contorno obtido com as restaurações provisórias, uma forma previsível de transferir a topografia gengival na zona de pônticos consiste na transferência da restauração provisória ao modelo mestre, com a finalidade de registrar a base do pôntico, definindo a arquitetura gengival correspondente. Dessa maneira, as restaurações definitivas são fabricadas, facilitando ostensivamente a inserção da prótese.