Estudo biomecânico das interfaces protéticas: revisão de literatura

Por Administrador

Edição V07N04 | Ano 2013 | Editorial Artigo de Revisão | Páginas 90 até 97

Angelo Marcelo Tirado dos Santos

A Implantodontia tem se aperfeiçoado para aprimorar suas características biológicas e mecânicas. Contudo, o grande desafio atual é oferecer tratamento reabilitador estético, duradouro e que possibilite manutenção das estruturas circunvizinhas, tais como o tecido ósseo e a mucosa, onde esse equilíbrio depende de diversos fatores, entre eles, o tipo de interface protética. Os primeiros implantes desenvolvidos apresentavam uma junção externa por sobreposição hexagonal; no entanto, vários relatos clínicos descrevem complicações que resultaram em afrouxamento de parafusos e, até mesmo, fraturas de componentes protéticos e implantes. Para diminuir essas falhas mecânicas, foram desenvolvidas conexões de encaixe interno, sendo hexagonais, triangulares, octogonais ou cônicas. Com o advento e maior opção de interfaces protéticas para planejamento reabilitador, faz-se necessário melhor conhecimento sobre suas características biomecânicas e longevidade.

Santos AMT. Biomechanical study of prosthetic interfaces: A literature review. Dental Press Implantol. 2013 Oct-Dec;7(4):90-7.