Resumos, em português, de artigos publicados em importantes revistas da área de Implantodontia, Prótese e Periodontia de todo o mundo

Por Administrador

Edição V07N03 | Ano 2013 | Editorial Observatório | Páginas 99 até 101

Dario Augusto Oliveira Miranda

A epidemiologia da peri-implantite Mombelli A, Müller N, Cionca N. The epidemiology of peri-implantitis. Clin Oral Implants Res. 2012 Oct;23 Suppl 6:67-76. Objetivo: o objetivo desse artigo foi realizar uma revisão da literatura sobre a prevalência e incidência de peri-implantite. Métodos: de 322 publicações potencialmente relevantes, foram identificados 29 artigos sobre 23 estudos, com informações sobre a presença de sinais de peri-implantite em amostras de, pelo menos, 20 casos. Todos os estudos forneceram dados a partir de amostras de conveniência, normalmente a partir de pacientes que foram tratados em um centro clínico durante um determinado período, e a maioria dos dados foi transversal ou coletados retrospectivamente. Com base nos documentos de avaliação, pode-se afirmar que a prevalência de peri-implantite parece ser da ordem de 10% de implantes e de 20% dos pacientes, durante 5 a 10 anos após a colocação do implante, mas os dados individuais relatados são bastante variáveis, não são facilmente comparáveis e não são adequados para metanálise. Fatores que devem ser considerados para afetar números de prevalência são a definição da doença, o diagnóstico diferencial, os limiares escolhidos para sondar as profundidades e perda óssea, as diferenças de métodos de tratamento e pós-tratamento de pacientes, e diferenças na composição da população de estudo. Tabagismo e história de periodontite têm sido associados a uma maior prevalência de peri-implantite