Região posterior da maxila: atualizando conceitos anatômicos com o avanço da tecnologia de superfícies. Relato de caso clínico

Por Administrador

Edição V07N03 | Ano 2013 | Editorial Caso Clínico | Páginas 61 até 65

Miguel Faria Lima, Raquel Parreiras Ferreira, Alex Martins Gomes, João Lima Rodrigues, Paulo Franco Taitson

Objetivo: desde o início da especialidade Implantodontia, o tratamento reabilitador por meio de implantes na região posterior de maxila foi considerado um grande desafio para o profissional. As limitações das técnicas e materiais empregados geraram conceitos errôneos, principalmente quanto às definições de classificações ósseas, criando um conceito de osso pobre, que condizia com o nível elevado de insucessos de tratamentos realizados com superfícies de implantes pouco evoluídas. Revisando a literatura a respeito da origem embriológica tecidual da maxila e sua anatomia, observa-se a grande capacidade regenerativa de ossos medulares que são ricos em células mesenquimais. Métodos: destaca-se, nesse relato de caso clínico, a falha de um implante de superfície maquinada, fixado por técnica de osteotomia em região de primeiro molar de maxila, que foi substituído por implante de superfície SLA (sand-blasted, large-grit, acid-etched), com acompanhamento de taxa de sobrevivência de cinco anos. Resultados: avaliações clínica e radiográfica, em períodos de revisão semestral, foram realizadas, demonstrando a estabilidade de osseointegração do implante e a biocompatibilidade tecidual, além da funcionalidade da prótese realizada. Conclusão: em associação à vasta literatura científica que mostra a evolução tecnológica das superfícies de implantes que estimulam a transformação das células mesenquimais em osteoblastos, gerando, com isso, a osseointegração em períodos curtos de tempo, podemos sugerir que a região posterior de maxila se transforma em uma proposta previsível e segura de reabilitação por implantes.

Lima MF, Ferreira RP, Gomes AM, Rodrigues JL, Taitson PF. The posterior maxilla: An update of anatomical notions based on advances in endosseous implant surface technology. A case report. Dental Press Implantol. 2013 July-Sept;7(3):61-5.