O osso como uma metamorfose ambulante e os bisfosfonatos!

Por Administrador

Edição V07N03 | Ano 2013 | Editorial Crônica Científica | Páginas 6 até 10

Alberto Consolaro

Um dos meus preferidos, Raul Seixas cantou e ainda canta muito em meu iPod: “… prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo!”. Um dia, uma mulher reclamava que o marido lhe abandonara havia quatro anos, quando tinha 35 anos. Depois disso, fiquei sabendo que ele voltou, e com um papo empolgante: — Querida, voltei e agora sou um novo homem, eu mudei, eu me transformei, tudo em mim se renovou!

http://dx.doi.org/10.14436/2237-650X.7.3.006-010.sci