Onde devemos analisar o reparo ósseo após a colocação de enxertos particulados em cavidades ósseas cirúrgicas

Por Administrador

Edição V07N01 | Ano 2013 | Editorial Expedientelicações e Aplicações | Páginas 30 até 42

Alberto Consolaro, Franklin Leahy, Dario Miranda, Renata Bianco Consolaro

Na avaliação das propriedades de biomateriais particulados enxertados em cavidades ósseas cirúrgicas, deve-se considerar separadamente dois ambientes diferentes. Em primeiro lugar, o que ocorre diretamente na interface das partículas com o coágulo sanguíneo e o tecido de granulação, inclusive a osteogênese? Em segundo, o que ocorre nos espaços entre as partículas, distante de sua superfície: quais as reações teciduais induzidas, inclusive a osteogênese? Nesses espaços, como evoluem o coágulo sanguíneo, o tecido de granulação e a neoformação óssea? A mais preponderante das reações frente aos biomateriais particulados deve estar relacionada com o que ocorre diretamente sobre a superfície das partículas e se, ao longo do tempo, essas partículas serão ou não reabsorvidas para dar lugar ao tecido ósseo e restabelecer por completo a normalidade no local.

Consolaro A, Leahy F, Miranda D, Consolaro RB. Where we should analyze bone healing after placement of particulate grafts in surgical bone cavities. Dental Press Implantol. 2013 Jan-Mar;7(1):30-42.