Influência do biótipo tecidual no comportamento morfo-estético-funcional do tecido peri-implantar: revisão de literatura

Por Administrador

Edição V06N02 | Ano 2012 | Editorial Artigo de Revisão | Páginas 56 até 66

Ordener Miranda Martins de Souza, Jamille Freitas de Andrade Neri, Ludmila Topázio, Rafaela Carneiro Donadone, André Carlos de Freitas, Maurício Andrade Barreto

Introdução: o foco atual da Implantodontia é o planejamento de uma reabilitação contemplando, além da função, o sucesso estético. A expectativa é criar uma restauração estética que seja indistinguível do dente natural, bem como devolver o contorno das estruturas periféricas — mucosa e papila peri-implantares — que se assemelhem às mesmas estruturas contralaterais. É um campo de múltiplas variáveis, em que a identificação do biótipo tecidual é um fator que importante para a obtenção de tal sucesso. Objetivo: o objetivo do presente trabalho foi fazer uma revisão acerca da influência do biótipo gengival no comportamento morfo-estético-funcional dos tecidos peri-implantares, apontando protocolos de diagnóstico e manejo desses tecidos. Utilizou-se como fonte de pesquisa a base de dados do PubMed, selecionando-se artigos publicados de março de 2008 a junho de 2011. Conclusões: dentro dos limites dessa revisão, foi possível concluir que o biótipo tecidual tem influência sobre a estética na terapia com implantes, especialmente nos níveis da mucosa peri-implantar facial, com o biótipo fino apresentando maior suscetibilidade à recessão. Nessa condição, a conversão de um biótipo fino em um biótipo espesso, por meio de enxerto de tecido conjuntivo, parece influenciar positivamente o nível da mucosa marginal facial. Por outro lado, o biótipo tecidual demonstrou pouca influência na altura da papila interproximal.

Souza OMM, Neri JFA, Topázio L, Donadone RC, Freitas AC, Barreto MA. Influence of tissue biotype in the morpho-esthetic-functional behavior of the peri-implant tissue: A literature review. Dental Press Implantol. 2012 Apr-June;6(2):56-66.