Implantes dentários em zircônia: uma alternativa para o presente ou para o futuro? (Parte I)

Por Administrador

Edição V05N04 | Ano 2011 | Editorial Artigo de Revisão | Páginas 100 até 110

Celso João HOCHSCHEIDT, Edson Durval Menezes Alves, Luiz Antônio Bastos Bernardes, Regina Célia Hochscheidt

Introdução: os implantes dentários e os abutments normalmente são fabricados com titânio (Ti), devido à histórica biocompatibilidade e propriedades mecânicas desse metal. No entanto, alguns problemas locais relacionados a fenótipos gengivais finos ou linhas do sorriso altas sempre foram um desafio para a Implantodontia. Nessas situações, existe o risco de sua cor acinzentada transparecer através da mucosa gengival. Também têm sido relatados os efeitos prejudiciais dos materiais metálicos ao organismo humano, tanto no aspecto peri-implantar quanto sistêmico, principalmente pelos seguidores da Medicina holística. Objetivo: com o objetivo de encontrar um material alternativo ao Ti, realizou- -se uma ampla revisão bibliográfica. Métodos: pesquisaram-se as cerâmicas de dióxido de zircônio (ZrO2), ou zircônia (Zr), com estudos in vitro e in vivo. Também, mostraram-se dados clínicos da conexão osso-implante (BIC, Bone- Implant Contact), avaliando sua biocompatibilidade, sua resistência e indicações. Conclusões: concluiu-se que a zircônia é considerada um biomaterial de ótima biocompatibilidade, com osseointegração e taxas de BIC comparáveis às do Ti. As cerâmicas de Zr com superfícies modificadas apresentam uma osseointegração mais favorável. Os implantes dentários em Y-TZP (zircônia tetragonal policristalina estabilizada com ítrio) têm muitas vantagens sobre os outros materiais cerâmicos, graças aos mecanismos de tenacidade que operam na microestrutura. A resistência à fratura desse biomaterial está dentro dos limites de aceitação clínica, na normalidade funcional do sistema estomatognático. Portanto, os implantes de Zr já são uma alternativa aos de Ti, estando mais indicados para a região anterior, nos fenótipos gengivais finos, com linha de sorriso elevada e, sobretudo, para os pacientes com alergia a metais ou metaloses.