Contagem e prevalência de microrganismos patogênicos e benéficos em indivíduos tabagistas com doença periodontal crônica

Por Administrador

Edição V03N04 | Ano 2009 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 101 até 110

Sérgio Eduardo Braga da CRUZ, Tatiana de Oliveira SIROTTO, Juliana Alethusa Velloso MENDES, Marcelo da ROCHA, Marcelo de Paiva RAFFAELLI, Magda FERES, Flávia MATARAZZO

O objetivo deste estudo foi comparar a contagem e a prevalência dos microrganismos do complexo vermelho (Treponema denticola, Porphyromonas gingivalis e Tannerella forsythia) e do complexo azul (Actinomyces gerencseriae, Actinomyces israelli e Actinomyces naeslundii) na microbiota subgengival em indivíduos tabagistas e não-tabagistas com doença periodontal crônica. Foram selecionados 50 voluntários com periodontite crônica (25 tabagistas – T e 25 não-tabagistas – NT). Os indivíduos foram submetidos a exame clínico periodontal e microbiológico. Os parâmetros clínicos avaliados foram profundidade de sondagem, nível clínico de inserção, placa supragengival visível, sangramento gengival, sangramento à sondagem e supuração. De cada indivíduo foram coletadas entre 6 e 12 amostras de biofilme subgengival, avaliadas para seis espécies bacterianas por meio da técnica Checkerboard DNA-DNA Hybridization. Os resultados clínicos foram semelhantes entre os grupos (T e NT). A exceção foi o percentual de sítios com sangramento gengival, sendo que o grupo T apresentou uma média inferior (9,54 ± 15,31) comparada ao grupo NT (39,44 ± 25,13 – p < 0,001). A única diferença microbiológica foi a contagem de A. gerencseriae diminuída no grupo de tabagistas (p < 0,05). Em conclusão, os perfis clínico-microbiológicos de indivíduos tabagistas e não-tabagistas com periodontite crônica podem ser considerados semelhantes.