Pilar cerâmico com base de titânio para prótese sobre implante

Por Administrador

Edição V03N02 | Ano 2009 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 92 até 100

Patricia Saram Progiante, Marcelo Lucchesi Teixeira, Milton Edson Miranda

Restaurações implantossuportadas em zonas estéticas anteriores apresentam desafios significativos, tanto na fase cirúrgica quanto na fase protética. A importância dos valores estéticos para a sociedade moderna tem se refletido na Odontologia: os pacientes procuram por soluções não somente funcionais, mas, também, com excelência em estética, o que se transforma num desafio cada vez maior. Uma transição harmoniosa entre a restauração e os tecidos peri-implantares é extremamente importante. A aparência de saúde gengival consiste numa coloração natural e, também, num apropriado contorno gengival. Em relação a esse, os pilares de titânio vêm atingindo bons resultados, quando a qualidade e a quantidade de gengiva inserida estão presentes. Porém, à medida que essa é diminuída, os resultados estéticos, utilizando os pilares metálicos, ficam mais distantes. Alguns dos recursos utilizados nessas condições, objetivando a estética, são os pilares cerâmicos. Esses pilares unem resistência e estética, além de biocompatibilidade com os tecidos peri-implantares. Outra vantagem é que possibilitam a aplicação direta da porcelana, quando a indicação recai sobre uma prótese parafusada.