Estudo retrospectivo de reabilitação em maxilas atróficas usando fixações zigomáticas

Por Administrador

Edição V02N02 | Ano 2008 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 80 até 90

Humberto Erig Lima, Marco Dapievi Bresaola, Hugo Nary Filho

O emprego de fixações zigomáticas e implantes convencionais em sistema de carga imediata para reabilitações de maxilas atróficas constitui alternativa recente e vem sendo amplamente descrita na literatura científica, assim como a busca constante pela otimização de índices de sucesso dos implantes. Neste trabalho, procurar-se-á verificar o índice de sobrevida destas fixações, além de verificar o comportamento das FZs em procedimentos de dois estágios e carga imediata, fazendo um estudo retrospectivo de longo prazo, utilizando uma amostra mais representativa. Para este estudo, avaliou-se 59 prontuários de pacientes submetidos a reabilitações maxilares através da instalação de fixações zigomáticas e convencionais, atendidos no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2006. Os dados foram registrados por meio de uma ficha cadastral especialmente desenvolvida para este estudo, quantificados e correlacionados. Verificou-se o emprego de 151 FZs e 187 implantes convencionais instalados, sendo 57,63% dos casos como protocolo de duas FZs associadas a quatro implantes convencionais, em sistema de carga imediata. O índice de sucesso foi de 95,36% para as FZs submetidos à carga imediata ou em duas fases cirúrgicas.