Aspectos periodontais e ortodônticos na exposição de caninos superiores inclusos

Por Administrador

Edição V01N04 | Ano 2007 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 28 até 39

Luégya Amorim Henriques KNOP, Fernanda Frare da ROSA, Jaqueline Sviesk LUNARDI, Vinícius Augusto TRAMONTINA, Sung Hyun KIM, Orlando TANAKA

Os caninos superiores apresentam o período e o trajeto mais longo de desenvolvimento, desde o ponto de formação até o seu destino final, na linha de oclusão. A erupção ectópica e a inclusão do canino superior permanente são problemas clínicos freqüentes. Seu diagnóstico é baseado no exame clínico e radiográfico, incluindo radiografias panorâmicas, oclusais, periapicais, telerradiografias de perfil e tomografias computadorizadas. O diagnóstico e o tratamento desse problema, geralmente, requerem perícia e cooperação do clínico geral, odontopediatra, cirurgião bucomaxilofacial, periodontista, assim como do ortodontista. O tratamento do canino superior incluso requer a interação cirúrgica e ortodôntica. Dois métodos de exposição cirúrgica são utilizados: exposição aberta, onde o acessório é instalado depois que o canino irrompe livremente, e exposição fechada com a fixação de um acessório, seguida pela tração com forças ortodônticas suaves. Os caninos superiores inclusos requerem mínimos efeitos no periodonto e efeitos colaterais mínimos aos dentes adjacentes e aos tecidos gengivais. O tratamento ortodôntico de dentes inclusos necessita de controle adicional de placa bacteriana pelo profissional e pelo paciente.