Reabilitação estética em região anterior de maxila associada a implante precoce: procedimentos cirúrgico e protético associados ao condicionamento dos tecidos moles e à individualização de mesioestrutura para cimentação de coroa metalocerâmica

Por Administrador

Edição V01N02 | Ano 2007 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 98 até 109

João Antonio Dosualdo, Rosana Marmirolli Agostinho, Fabio Sanches Magalhães Tunes

Este artigo relata um caso clínico de reabilitação em região anterior de maxila em paciente do gênero feminino, com 65 anos de idade, normoreativa, leucoderma. Feita avaliação clínica e diagnosticada fratura radicular longitudinal, foi realizada a exodontia do elemento 11, adotando antibioticoterapia prévia, para controle de infecção presente. Após 45 dias, com a remissão da infecção e a cicatrização dos tecidos moles, realizou-se a cirurgia para instalação de implante ITI TE (Institut Straumann, Basel, Suíça) de Ø 4,1 x 4,8 x 12mm associado a enxerto de tecido conjuntivo, com o objetivo de aumento da espessura vestibular do tecido mole na região do implante. Quatro semanas após a cirurgia, trocou-se a tampa de cicatrização do implante e na sexta semana, com a instalação da coroa provisória, iniciou-se o condicionamento dos tecidos moles para a criação do perfil de emergência. Após o condicionamento dos tecidos, a forma obtida foi reproduzida com a individualização de coping plástico calcinável (sistema syn-Octa®, Institut Straumann, Basel, Suíça) em resina Duralay® (Reliance Dental MFG Co., Ill. EUA), possibilitando também o seu preparo com término em nível de sulco e acompanhando o festonado gengival. A mesioestrutura individualizada foi fundida em liga de níquel-cromo e aparafusada ao implante; sobre ela foi confeccionada a supra-estrutura metálica para coroa metalocerâmica cimentada, da mesma forma que as estruturas metálicas para as coroas dos demais elementos dentários.