APOIO INSTITUCIONAL

USO DE METODOLOGIAS ATIVAS NO ENSINO DA DENTÍSTICA: MODISMO OU NECESSIDADE?

Edição V18N1  |  Ano 2021  |  Categoria: Combatendo modismo com ciência  |  Página 118 até 121

Autores

Diogo de Azevedo MIRANDA, Sarah Teixeira COSTA , Luiz Rogério Vallim COSTA

Resumo

O ensino da Odontologia, no Brasil e em muitos outros países, tem sido baseado em disciplinas isoladas, com amplo emprego de aulas expositivas e ênfase somente no conhecimento técnico. O professor representa a figura predominante de reprodutor de conhecimento, enquanto os alunos manifestam-se como expectadores passivos, limitando-se à retenção e repetição. Inegavelmente, há um distanciamento físico e contextual entre aluno e professor. O ensino ocorre de maneira fragmentada, por disciplina ou área de especialização. Aliada ao método tradicional de ensino, fragmentado e não agregador — utilizado na grande maioria dos cursos superiores do Brasil —, a graduação do cirurgião-dentista apresenta particularidades desafiadoras, como alto custo, demandas únicas de treinamento pré-clínico, natureza mutante dos métodos de ensino/avaliação, fluxo intenso de desenvolvimento de novos materiais e novas tecnologias, influência do fator socioeconômico-cultural e aumento da expectativa dos pacientes em relação ao tratamento, impactando, significativamente, todas as áreas do programa educacional.

Palavras-chave

Como citar

Miranda DA, Costa ST, Costa LRV. Use of active methodologies in the teaching of Dentistry: fad or need? J Clin Dent Res. 2021 Jan-Apr;18(1):118-21.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on print

Artigos relacionados: