APOIO INSTITUCIONAL

Análise da influência de três métodos de pós-polimerização sobre a resistência à flexão de um compósito de uso clínico

Edição V03N3  |  Ano 2006  |  Categoria: Artigo de Pesquisa  |  Página 37 até 42

Autores

Daniel Galafassi, Luciano De Souza Gonçalves, Aloísio Oro Spazzin, Bruno Carlini Junior

Resumo

O objetivo desse trabalho foi avaliar a resistência à flexão de uma resina composta microhíbrida fotopolimerizável submetida a três métodos de pós-polimerização. Foram confeccionadas 40 barras de resina A2, seguindo as especificações da ISO 4049, fotopolimerizadas por 40 segundos e em seguida divididas em quatro grupos: G1 – controle negativo, que não recebeu pós-polimerização; G2 – controle positivo, polimerizadora laboratorial EDG Lux – luz e calor (7 minutos; 600mW/cm2); G3 – ciclo de autoclave – calor e pressão (25 minutos; T=1380C; P=2,58bar); G4 – ciclo em microondas – calor (3 minutos/1800 Watts). O teste de resistência flexural foi realizado em máquina de ensaio EMIC DL 2000 com velocidade de 0,5mm/min. Aos resultados obtidos foi aplicada a fórmula s = 3Fl / 2db2, para obter os valores de resistência flexural em MPa. As médias dos grupos foram: G1=97,49MPa, G2=94,62MPa, G3=122,22MPa e G4=108,21MPa, não apresentando diferença estatisticamente significante ao nível de 5%.

Palavras-chave

Como citar

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on print

Artigos relacionados: